25 de março de 2010

O OBJECTO DA FÉ PODE SER VERDADEIRO OU FALSO

Felipe Paraselcus, médico, alquimista e erudito suíço – alemão, que viveu de 1490 a 1541, foi um inovador na Medicina do seu tempo e tentou descobrir o elixir da longa vida. É interessante esta sua afirmação:" Quer o objecto da sua fé seja verdadeiro ou falso, os efeitos obtidos serão os mesmos. Assim se eu tiver fé na estátua de São Pedro, como deveria ter no próprio São Pedro em pessoa, obterei os mesmos resultados que teria obtido de São Pedro. Mas, isto é superstição. A fé, contudo, produz milagres; e quer seja falsa ou verdadeira, produzirá sempre as mesmas maravilhas" Não é, portanto, o objecto, ou a religião, ou a imagem quem produz os resultados: é a fé que você tem de que esse objecto, ou essa religião, ou essa frase, ou essa oração, ou essa imagem, produzem o resultado que fará com que aconteça.

A fé é uma força irresistível imana mente em você; no fundo, é a própria Força Divina existente em você. Esta Força age, não movida por aparatos exteriores, mas pelo seu pensamento. Lembre-se que acreditar e é aceitar o seu pensamento como verdadeiro, quer ele seja, de facto, verdadeiro ou não. Quando você acredita em alguma coisa o seu pensamento se dirige apenas nessa direcção e então acciona o Poder Infinito, que está dentro de você, e o Poder Infinito cumpre. Quando você manda uma ideia, na qual você acredita, para o seu subconsciente, este trata de cumprir.

Se você acredita que é nervoso, fica nervoso; se acredita que é calmo, ficará calmo.

Frequentemente as pessoas me perguntam se despacho ou bruxarias pegam. Fizeram um "trabalho" contra mim e daí para a frente tudo está a dar errado para mim.

Enterraram a minha fotografia no cemitério e eu estou com medo. Já perdi o emprego. Estou apavorado.

Deitaram um despacho na porta da minha casa. Comecei a ficar doente.

Ele disse-me que se eu não voltasse, eu não ia ser feliz. Olha, perdi o meu namorado.

Outras pessoas contam.

Um dia me disseram que, se eu não fizesse um" trabalho", eu não arrumaria emprego. Não acreditei nisso e, em seguida, tive uma oportunidade de emprego formidável. Estou óptimo, melhor do que nunca.

Eu tinha uma vizinha muito invejosa que só me desejava azar. Ela disse fazer certos "trabalhos" para me tirar o namorado. Fiz como o senhor me disse: comecei a mentalizar todos os dias que ela era maravilhosa, filha de Deus perfeita, desejei-lhe tudo de bom, e imaginei minha amiga sincera. Pouco tempo depois ela começou a me cumprimentar e nos tornamos grandes amigas. Eu podia continuar a citar muitos casos. Para uns o "trabalho pegou", para outros até foi razão de maior sucesso. Isto quer dizer que não é o "trabalho" que provoca esta ou aquela situação mas é o pensamento que você cria na mente em relação a este tipo de coisa.

Ninguém pode prejudicar você a não ser você mesmo. Aquele tipo de coisa pega se você ACREDITA que pega; não pega se ACREDITA que não pega. Deu para entender? Em última análise, tudo começa e termina na sua mente. Alguns tempos atas, veio conversar comigo um senhor de certa idade. Ele tinha na cabeça a crença de que tudo o que era mal feito se devia atribuir ao demónio. Acreditava ferrenhamente no demónio e dizia que as pessoas geralmente estavam endemoninhadas, porque nem sempre faziam o bem. Eu falei-lhe que esta história de demónios era superstição e expliquei-lhe o significado da palavra. Dias depois, ele apareceu esbaforido e, da escada mesmo, me inquiriu severo:

Então o senhor não acredita em demónios?

Depende, respondi-lhes que lhe posso afirmar é que esse tipo de demónios que viveriam aqui na terra para tentar a gente, para nos induzir ao mal, nãoexiste,porque seria ridículo atribuir uma obra dessas ao Criador, que é Amor e Bondade.

Então retorquiu ela veemente vou lhe mandar um bando de demónios e o senhor vai ver.

Eu sorri complacente e lhe disse: pode mandar-me todos os demónios de Santa Maria, do Rio Grande do Sul, do Brasil e do mundo inteiro.

Mande tudo para cá, assim o resto do mundo fica limpo.

Claro e eu nem me preocupei com o que ele dissera. Outra pessoa talvez ficasse perturbada e, qualquer coisa que acontecesse de negativo, já levaria a concluir: Viu, já está acontecendo. Relembro aqui Shakespeare:"O bem e o mal existem, é o pensamento que os cria".