23 de março de 2010

REPITA,REPITA

Toda a ordem que manda para o subconsciente, com determinação, ele trata de realizar.

Muitas vezes se queixa de que não consegue as coisas que mentaliza, mas esquece-se de que há uma dicotomia nos seus pensamentos.

Dona Julieta era uma senhora muito nervosa. Eu fiz uma oração, que ela deveria mentalizar à noite, de manhã e mais algumas vezes por dia, principalmente quando se sentisse agitada. Ela fazia a oração metodicamente. E veio queixar-se que não havia progredido nada. Na oração dizia para si mesma que era calma, que era muito calma, mas na realidade poucas vezes isso acontecia.

Procurei saber o que se passava na mente da dona Julieta e observei que, ao mesmo tempo que se programava para ser calma, tinha a sensação de que era nervosa e achava que estava a mentir para si; por outro lado, toda a vez que se encontrava com amigas e comadres, o assunto caía invariavelmente no seu nervosismo. Ora, eram duas forças lutando dentro dela, cada uma querendo impor-se ao subconsciente.

Ela estava na verdade a fazer duas orações opostas e contraditórias. É isso que acontece quando a oração não é ouvida.

Que fazer, então, para solucionar a situação?

Encontrar um outro caminho, o caminho muito usado pelas agências de publicidade.

Você liga a televisão porque tem interesse no seu programa, na sua novela, no seu filme. Mas, no meio do seu programa, você tem de aceitar a publicidade que é colocada. Aparentemente, permanece indiferente á publicidade, pois o que quer mesmo é assistir ao seu programa. No entanto, vê demonstrações sobre essa ou aquela pasta de dentes, essa bebida que conquista mulheres, esse banco que rende mais, aquela loja que vende isto e aquilo, assim por diante. Conscientemente, você está ligado apenas no seu programa, mas a publicidade acaba por influenciá-lo e lá vai adquirir o tal produto. Seu subconsciente aceitou a mensagem depois de tanta repetição e você acabou entrando na compra.

A repetição é uma forma de impressionar o subconsciente.

Quando você está nervoso, repita-se a si mesmo: "Eu sou calmo, eu sou muito calmo" , e continuando a repetir, você ficará calmo.

Não use a formulação negativa, porque a palavra cria a imagem negativa.

Por exemplo, se você diz " eu não estou nervoso", a imagem que mais gravará, por certo, é a da palavra nervoso e essa é uma imagem negativa.

Simplesmente afirme a imagem que você deseja: " Eu sou calmo".

Não se preocupe se inicialmente nada acontece.

Batei e abrir-se-vos-á – já dizia o grande Mestre Jesus.