26 de julho de 2010

Medo de Perder a Liberdade

Conserve a sua mente límpida e tranquila. O seu mundo é a sua mente e na sua mente só você pode mandar, portanto, mesmo entre quatro paredes, você pode sentir-se liberto e feliz.

A liberdade é um dom interior que lhe pertence. Use-o. Ninguém pode roubar-lhe a liberdade a não ser você mesmo. Nunca esqueça que é dono do universo, é o rei da criação, portanto pode estar num lugar e em todos os lugares ao mesmo tempo. Você tem dimensões divinas.

Irradie pensamentos de boa vontade, de harmonia, de paz, de bom entendimento e de fraternidade e esses pensamentos expulsarão toda e qualquer possibilidade de perder a liberdade.

Sinta-se sempre protegido divinamente e ninguém lançará mão contra si.

"Ninguém lançará mão de ti para te fazer mal" (Actos 18.10).

MEDO DE PERDER O AMOR

Este medo produz uma série de distúrbios e tira a paz de espírito. Se dois se amam, são como duas metades que se juntam de forma tão unitária que ninguém pode separar, a não ser os mesmos. Cultivem, então, o amor, doem-se mutuamente, mantenham a vida dessa flor maravilhosa e o amor continuará até ao fim dos tempos.

É dando que se recebe; dê amor á mão cheia e com toda a largura do seu coração e estará a enriquecer e estreitar cada vez mais o seu amor.

Você nunca perderá o amor do seu coração. Se o seu namorado se foi, se o seu noivo se foi, saiba que pode perder o amor de outra pessoa, mas jamais perderá o AMOR. Este existe sempre em si, é inesgotável e tende, por sua própria essência, a encontrar a sua outra parte. Não se feche, pois, na solidão e nem viva trancado de medo de perder o seu amor. Dê vida ao seu amor, ao invés de sufoca-lo. É na liberdade, por incrível que pareça, que o amor mais se desenvolve.

Envolva o seu amor num círculo de protecção divina e descanse.