29 de maio de 2011

As Sete crensas - chave das pessoas de sucesso

Ao longo dos anos, tive a oportunidade de trabalhar com muitas pessoas e estudar com elas, sendo muitas delas consideradas como génios na nossa cultura. Tratam-se de indivíduos extraordinários das artes, negócios, desporto e assim sucessivamente. Como síntese do trabalho que realizei com eles, apresento a seguir aquilo que descobri como sendo as sete perspectivas de sucesso nucleares de pessoas de topo, felizes e saudáveis.
Lembre-se, uma crença não é mais do que uma perspectiva - uma janela através da qual apreendemos o mundo. Quando escolher ver o mundo através da janela destas perspectivas positivas, criará um ponto de vista com mais recursos, e poderá começar a registar rupturas na sua vida imediatamente. Não importa se acredita realmente na veracidade destas coisas - limite-se a imaginar vivamente como seria a sua vida se soubesse, neste momento, que...
Existe uma velha história sufi sobre um homem que procurava as suas chaves fora de casa, por baixo do poste de luz iluminando a sua rua. Muitos dos vizinhos juntaram-se a ele na busca, até que um deles perguntou finalmente:"Onde perdeu as suas chaves?" E o homem respondeu: " Dentro casa.Surpreendido, o vizinho perguntou: "Então porque está a procurar aqui?"O homem respondeu: "Porque há mais luz aqui fora."A verdade é que ninguém o conhece melhor do que você. Mesmo que tenha passado a vida inteira a procurar respostas fora de si, quando começar a olhar para dentro, surgirão cada vez mais as respostas perfeitas para as perguntas da sua vida.
 
    No século XIX, o conceito de pessoas que estavam "avariadas" ganhou adeptos na comunidade nascente de psiquiatras, e tornou-se um padrão durante centenas de anos. Génios como Richard bandler e psicólogos modernos liderados por inovadores como Martin Seligman e Mihaly Csikszentmihayi vêem as coisas de forma diferente. O ramo emergente da Psicologia Positiva baseia-se no pressuposto de que se quisermos reproduzir a saúde mental, deveremos estudar as pessoas que são saudáveis, e não as que estão doentes. Aprendi, durante o longo período em que trabalhei com pessoas de todos os tipos e origens, que todos fazem por uma boa razão, apesar de essa razão poder parecer pouco apropriada ao mundo exterior. Todos os comportamentos disfuncionais têm uma intenção positiva ou serviram alguma vez um objectivo, que hoje poderá ter sido ultrapassado.
    Por exemplo, se alguém tem medo de voar, poderá ser por uma série de razões, mas se assumirmos que a fobia tem uma intenção positiva, será fácil perceber que tudo se resume ao desejo de segurança.Quando o inconsciente descobre novas formas de mantê-lo seguro sem a resposta fóbica desnecessária, a fobia em si torna-se desnecessária.É por isso que, através de técnicas psicológicas modernas,podemos curar actualmente fobias de uma vida inteira numa questão de minutos.
    ler mais