1 de janeiro de 2010

Descubra as Maravilhas da sua Mente

"Em qualquer direcção que percorras a alma,
nunca tropeçarás nos seus limites".
Sócrates

Muitas vezes você deve ter-se perguntado; por que é que algumas pessoas são felizes e outras desgraçadas?porque é que algumas têm sucesso na vida e outras vivem e morrem marginalizadas?
Olhe ao seu redor e verá pessoas que começaram como simples empregados e hoje estão lá em cima, e verá pessoas que nunca sairam do mesmo lugar; verá pessoas que casaram e são felizes, e verá pessoas cujo casamento se desintegrou , não sobrando pedra sobre pedra. Continue olhando, e verá pessoas que conseguiram curar-se de doenças tidas como incuráveis, e pessoas que nada puderam contra a doença.
Talvez você faça parte desse exército incalculável de pessoas que sofrem de insónia e só vão pegar no sono de madrugada à força de soníforos, quando existem tantas outras pessoas que, basta caírem na cama, e já estão a dormir na doce paz de um saudável sono.
Você já se perguntou por que é que existem pessoas alegres e despreocupadas, quando milhões de outras são deprimidas e atormentadas por neuroses e medos?
Muitos já dividiram o mundo em duas partes; as pessoas de sorte e as pessoas de azar.
Será que vivemos sob o fluxo e refluxo do imprevisível? Será que teremos que dizer, como Shakespeare, que "há mais mistérios neste mundo do que a nossa vã filosofia pode imaginar?"
Foi para abrir a sua mente que está a caminhar por estas mensagens.
Aqui você descobrirá o seu verdadeiro destino.
Agora você começa a levantar o véu do mistério e do desconhecido; agora você vai encontrar o caminho dos seus sonhos.
Não importa o estado actual em que você se encontra.
Não importa se você é pobre, doente ou um fracasso.Você pode, desde logo, começar a abrir as mãos para receber todas as dádivas da vida.
Seria injusto supor que só uma pequena classe de privilegiados pudesse ter acesso aos arcanos da sorte e das boas coisas da vida, enquanto que o resto teria que se contentar com as migalhas.
Seria também ridículo admitir que as riquezas do universo sejam limitadas, de tal sorte que, se uns tiverem bastante, outros terão pouco.
Você sempre desejou ter uma vida replecto de felicidade, de amor, de paz, de saúde, de bem-estar económico . Se não o conseguiu, alguma coisa deve estar errada consigo. O que é?
Sei que você já culpou a falta de sorte, a falta de oportunidades; sei que já culpou os pais, o governo, a vida, o mundo,o diabo, as bruxarias, os despachos, sei lá o que mais.
Mas, comece a pensar desde já; será que a culpa esta fora de si ou dentro de si?